terça-feira, 30 de agosto de 2016

No  Brejo: Bolão entra na campanha de Hilário e registra candidatura a vereador, já Rubinho Nunes declara apoio a Santos

Uma verdadeira novidade na política de Brejo da Madre de Deus veio à tona neste final de semana em caminhada realizada pelo candidato a prefeito pelo PSD, Hilário Paulo, foi anunciada a reintegração do atual vereador Bolão, que já havia feito fortes declarações contra Hilário e disse que não seria mais candidato a vereador pelo grupo.

O vereador que antes era também pré-candidato à prefeito pelo grupo, declarou apoio a Hilário, e registrou a sua candidatura a vereador. Bolão havia se afastado da campanha majoritária por estar descontente com o processo de escolha do candidato.

O anúncio foi feito de forma oficial em uma caminhada do candidato Hilário Paulo na noite do último sábado (27), no bairro Marajás em Brejo da Madre de Deus, que reuniu milhares de pessoas que ouviram os discursos do postulante ao cargo de prefeito, de Josevaldo e do prefeito Dr. Edson de Sousa (PTB).

Segundo Hilário, “o apoio do vereador nesse momento mostra que o projeto a cada dia tem se consolidado pelo sentimento do povo brejense, que não quer voltar ao atraso que viveu no passado”.

“As pessoas não querem mais voltar a viver com o atraso do passado. Elas tiveram a oportunidade de viver um governo de 90 dias em que estivemos a frente do poder executivo, onde as portas da Prefeitura Municipal eram abertas, com o total acesso a população que chegava no gabinete do prefeito e era atendida em suas demandas, pois entendemos que, o prefeito é um funcionário público e tem que responder a todos os questionamento e sugestões de seu patrão, que é o povo”, discursou. 

Rubinho Nunes declara apoio a Santos de Josa

Por outro lado, o que antes era também pré-candidato a prefeito pelo grupo, o empresário Rubinho Nunes (PC do B) declarou apoio ao candidato a prefeito pela 3º via, Santos de Josa, que tem como vice, Israel. A decisão foi oficializada em uma reunião que aconteceu na sede do município na noite desta quinta-feira (25).

Rubinho Nunes vem com seus familiares, amigos e grande parte de seus correligionários fortalecer a campanha de Santos, que por sua vez, comemora a adesão que já era bastante aguardada.

“Muita gente cobrava que essa união acontecesse e graças a Deus aconteceu. A vinda de Rubinho vem fortalecer o nosso projeto de mudança que estamos defendendo para o Brejo. Já estou absorvendo muitas ideias que Rubinho tinha projetado para o futuro da nossa cidade, principalmente na área do turismo”, falou Santos.

Pregando respeito à população brejense Rubinho explicou ao Blog Estação Notícias os motivos que o levaram a apoiar Santos. “Todos sabem que não aceito de jeito nenhum o projeto de Edson Vieira e Bruno Araújo aqui em Brejo, isso me refiro aos candidatos que foram indicados pelo prefeito, e também não tenho condição nenhuma de votar em Roberto Asfora. Sei que faço neste momento a melhor escolha em apoiar Santos nesta eleição. O conheço desde pequeno, e assim como eu, é homem do campo, foi um arraesista, tem respeito pela população brejense e tem um projeto próprio sem ninguém por trás o manipulando. Foi em respeito à população brejense que tomei esta decisão e farei o que eu puder para ajuda-lo”, esclareceu Rubinho Nunes.

Outra adesão ao grupo de Santos foi do senhor Zezinho Peteleco do distrito São Domingos. Zezinho já foi secretário de Obras do Brejo da Madre de Deus no início do segundo mandato do governo do atual prefeito Dr. Edson.

Presidenta Dilma fala por mais de 13 horas no Senado. Confira os destaques

Petista discursou no começo do dia e enfrentou sabatina dos senadores. Sessão repercutiu em todo o mundo

A sessão de defesa no Senado da presidenta eleita Dilma Rousseff, que durou mais de 13 horas, foi povoada por momentos marcantes. Desde o discurso de defesa às perguntas de 48 senadores, passando pelo apoio in loco de Lula e Chico Buarque, Dilma aguentou uma sessão que começou às 9h40 e se estendeu até as 23h50. O dia terminou com os questionamentos da jurista Janaína Paschoal, da acusação, e do defensor José Eduardo Cardozo. Ao final, Lewandovski agradeceu à presidenta e confirmou para esta terça-feira às 10h a retomada do julgamento.

Esta terça-feira também deve ser um dia longo no Senado. Os 81 senadores devem se manifestar durante o dia. Cada um dos parlamentares terá direito a dez minutos de fala e não terão tempo extra. A previsão é de que o sexto capítulo do julgamento de Dilma dure 17 horas, se encerrando por volta das 3h da manhã de quarta-feira.

O presidente do STF, Ricardo Lewandowski, vai ler um resumo dos fundamentos da defesa e da acusação, além das provas apresentadas pelas partes. A seguir, dois senadores que apoiam a presidenta e dois que são favoráveis ao impeachment devem apresentar seus argumentos, cada um com direito a cinco minutos de fala. 

Por fim, o momento da votação. Lewandowski fará a pergunta a seguir aos parlamentares:

"Cometeu a acusada, a Senhora Presidente da República, Dilma Vana Rousseff, os crimes de responsabilidade correspondentes à tomada de empréstimos junto à instituição financeira controlada pela União e à abertura de créditos sem autorização do Congresso Nacional, que lhe são imputados e deve ser condenada à perda do seu cargo, ficando, em consequência, inabilitada para o exercício de qualquer função pública pelo prazode  oito anos?".

A votação, nominal e aberta, acontecerá por meio do painel eletrônico, ao contrário do que houve na Câmara, realizada pelo microfone. São necessários 54 votos de 81 para se concretizar a perda do mandato de Dilma Rousseff. Encerrada a votação, o presidente do STF lavra e lê a sentença.

Confira os destaques do quarto dia de julgamento de Dilma:

Preço alto
"Contrariei interesses e por isso pago um preço alto", disse a presidente afastada em sua defesa, ressaltando que o processo de impeachment só foi aprovado por conta da "chantagem implícita" de Cunha, que não queria que seu processo de cassação fosse aberto. E frisou o fato de não ter se curvado à chantagem do peemedebista motivou a abertura de seu processo de impedimento.

Repercussão Mundial
O discurso de defesa de Dilma repercutiu na imprensa de todo o mundo. Jornais como El Pais e Le Monde ressaltaram que Dilma denuncia um golpe de Estado, já o The Guardian relembrou seu passado de guerrilheira e disse que ela foi com a mesma força para a "luta" no Senado. O The New York Times afirmou que a defesa da presidente hoje é sua última cartada.

Gosto amargo
Dilma citou a luta contra a ditadura e o dia que foi eleita para assumir o segundo mandato, em 1º de janeiro de 2015. "Fui eleita por mais de 54 milhões de votos. Respeitei o compromisso que assumi perante a nação", disse.

No discurso, Dilma também disse que jamais praticaria atos contrários dos que a elegeram e afirmou não ter cometido crime de responsabilidade. "Diante das acusações, não posso deixar de sentir na boca novamente o gosto áspero e amargo da injustiça, e como no passado, resisto".

Cristovam questiona sobre Temer
O senador Cristovam Buarque questionou à petista quais foram os critérios para Michel Temer ter sido escolhido como vice-presidente dos seus dois mandatos.

Escolhemos o senhor Michel Temer como vice-presidente porque supúnhamos que ele era integrante desse centro agregador. Que ele representava o melhor do PMDB. Não sei quando começou a mudar, mas começou a mudar", respondeu Dilma.

Sílvio Costa: "estão torturando Dilma pela segunda vez"
O deputado Silvio Costa (PTdoB-PE) disse que se emocionou com depoimento da presidente afastada Dilma Rousseff. "Ela está sendo torturada pela segunda vez", disse em relação ao processo de impeachment. Dilma ficou com a voz embargada durante o seu discurso quando lembrou que foi torturada na ditadura.

"Rotundo golpe"
Dilma Rousseff fez um apelo aos senadores para que não seja condenada por crime de responsabilidade, o que provocaria a perda de seu mandato. "A hora que julgarem e condenarem uma presidente inocente, sem crime de responsabilidade, é um rotundo golpe. É um golpe integral", disse Dilma.

Governistas acusam Dilma de não ser convincente
No intervalo da sessão em que a presidenta afastada Dilma Rousseff apresentou sua defesa no julgamento do impeachment, o líder do PMDB, Eunício Oliveira (CE), afirmou que, apesar das críticas dela ao governo Temer e a parlamentares governistas, o voto dos senadores não deve mudar. "Pode comover alguns lá fora, aqui dentro não", afirmou.

Senadores favoráveis ao afastamento definitivo de Dilma disseram que ela deu respostas muito técnicas e que, até então, não havia sido convincente em seus argumentos para desmontar a tese da acusação de que cometeu crime de responsabilidade.

"Cunha foi um dano grande ao país"
Dilma deixou clara a antipatia pelo deputado afastado Eduardo Cunha (PMDB-RJ), que no fim de 2015, como presidente da Câmara, aceitou a abertura do processo de impeachment contra ela.

Respondendo a uma pergunta da senadora Lídice da Mata (PSB-BA), Dilma disse que a contribuição de Cunha ao país "foi a mais danosa possível". "A contribuição de Cunha foi a mais danosa possível porque já vinha sendo bem danosa quando tentamos aprovar, ainda em 2014, a Lei dos Portos, com todas as dificuldades possíveis, pois ele não queria a aprovação sem contemplar alguns interesses estranhos", afirmou, sem esclarecer ao que se referia.

Conhecido adversário, Aécio acusa Dilma
O senador Aécio Neves (PSDB-MG) fez um duro pronunciamento em direção a  Dilma durante a sessão de julgamento final do impeachment da petista no Senado Federal. O tucano acusou Dilma de ter vencido as eleições de 2014, quando ele saiu derrotado, faltando com a verdade e cometendo ilegalidades.

Armando Monteiro elogia presidente
O senador Armando Monteiro (PTB-PE), que foi ministro de Dilma, destacou "a seriedade, a correção e o espírito público" da petista. "Desde o momento em que esta Casa fez juízo da admissibilidade do processo de impeachment, só fortaleceu minha convicção, em todas as fases desse processo, de que não há razão ou justificativa, do que dispõe a Constituição, que configure de forma inequívoca o crime de responsabilidade", defendeu.

Chico Buarque reafirma golpe
Bastante assediado pela imprensa e causando um pequeno tumulto nos corredores do Senado, o cantor e compositor Chico Buarque deixou o Senado na tarde desta segunda-feira, e evitou falar com a imprensa. Diante da insistência de jornalistas, Chico limitou-se a dizer que o impeachment era sim um "golpe" e reforçou que acha difícil que afastamento definitivo da presidente Dilma Rousseff seja revertido.

Kátia Abreu, amiga e aliada do começo ao fim
Uma das principais aliadas da presidente afastada Dilma Rousseff a senadora Kátia Abreu (PMDB-TO) afirmou que o discurso da petista na sessão de julgamento final do impeachment no Senado ajuda a convencer senadores a votarem contra a saída da petista. Segundo a peemedebista, há "uns três" senadores cujas esposas estão mandando mensagens aos maridos pedindo que votem a favor de Dilma.

Plebiscito
Dilma afirmou que decidiu apoiar a convocação de um plebiscito sobre novas eleições e também sobre reforma política se voltar ao poder. Ela considera a atual situação do Brasil muito delicada. Segundo a petista, essa é a única forma de reconquistar a governabilidade do país. "A base da governabilidade é política, e eu acho que a população tem de participar".

Mea culpa
Em resposta à sua aliada, a senadora Gleisi Hoffmann (PT-PR), Dilma Rousseff aproveitou para fazer um "mea culpa" sobre a sua relação com o Congresso Nacional. Criticada por Eduardo Amorim (PSC-SE), que disse que ficou decepcionado com a "falta de diálogo" de Dilma, a petista pediu desculpas ao parlamentar por não ter "atendido às expectativas". Ela disse que tem clareza de que a conversa com os deputados e senadores é necessária, mas ressaltou que isso não é base para nenhum crime de responsabilidade.

Lula se pronuncia
O ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva disse que, se os senadores tivessem lido antes o discurso da presidente afastada, Dilma Rousseff, não haveria impeachment. Para Lula, sua sucessora teve uma atuação "firme e centrada" ao se defender no plenário do Senado.

"Isso aqui é um tribunal de exceção", acusa Lindbergh
O senador Lindbergh Farias (PT-RJ), 27º parlamentar a questionar a presidente afastada Dilma Rousseff, exibiu uma foto da petista durante sua prisão na ditadura militar, reafirmou que o processo de impeachment "é um golpe" e que o Senado "é um tribunal de exceção".

De acordo com o senador, o processo de impeachment é um golpe de classes. "Acuso a elite e burguesia brasileira que nunca tiveram compromisso com a democracia", disse. "Acuso o PSDB de não ter aceitado o resultado das eleições", complementou.

Humberto chama Mendonça de "mãos de tesoura"
Líder do Partido dos Trabalhadores no Senado, Humberto Costa (PT-PE) tomou a palavra durante a sessão de defesa da presidente afastada da República Dilma Rousseff. "Dezessete governadores e vários outros presidentes já fizeram o que você fez. Se tivesse feito irregularmente, no máximo a senhora tomaria uma multa", disse.

"O Senado tem a oportunidade de reparar essa oportunidade ou chancelar um acordo político", disse o senador. Adversários políticos históricos, Humberto Costa chamou o atual ministro da Educação, o também pernambucano Mendonça Filho (DEM), de "ministro mãos de tesoura", acusando-o de cortes em programas educacionais.

Repressão na Paulista
As frentes Povo sem Medo e Brasil Popular realizaram, durante a noite desta segunda-feira, na Avenida Paulista, uma manifestação em protesto contra o processo de impeachment de Dilma.

O clima era tenso na região e a Polícia Militar (PM) chegou a usar bombas de efeito moral para impedir que os manifestantes se aproximassem do prédio da Federação das Indústrias do Estado de São Paulo (Fiesp), entidade que os dois movimentos consideram "patrocinadora do golpe" contra a presidenta afastada.

Planalto responde a Dilma
Enquanto recebia críticas por parte de senadores oposicionistas que defendem a presidente afastada, Dilma Rousseff, no Senado, o Palácio do Planalto emitiu uma nota garantindo que "não é verdade que se debata a estipulação de idade mínima de 70 ou 75 anos aos aposentados". O texto também dia que "não será extinto o auxílio-doença; não será regulamentado o trabalho escravo; não há privatização do pré-sal e não se cogita revogar a Consolidação das Leis do Trabalho (CLT)".

Com agências Brasil e Estado e Correio Braziliense

Festival de Balé da Escola Dinâmica envolve o público no mundo encantado dos brinquedos.

Encantamento, emoção e diversão definem o Festival de Balé 2016 da Escola Dinâmica, que esse ano abordou o tema Fábrica de brinquedos. O espetáculo aconteceu na noite da ultima sexta-feira (26), no Teatro Municipal de Santa Cruz do Capibaribe.

A coordenadora Egmar Santos foi a cerimonialista, e desde os cumprimentos iniciais deixou bem claro para os convidados que aquela noite havia sido preparada para leva-los a adentrar no mundo encantado dos brinquedos, com seus personagens fantasiosos e fabulosos, convidando-os a mergulhar no universo mágico das crianças.  

A apresentação inicial teve como protagonistas aquelas que diariamente mergulham na própria fantasia para levar os alunos ao mundo da aprendizagem, as professoras dinâmicas, que mais uma vez colocaram em cena muita alegria, já mostrando todo o brilhantismo que aquela noite reservava.

Dando prosseguimento, as pequeninas do Maternal e do Jardim I da manhã,  apresentaram com a delicadeza de uma bailarina, as caixinhas de música que já embalaram com o seu som contagiante os sonhos de muitas crianças. A seguir a mestre de cerimonia convidou o Maternal e o Jardim I do turno da tarde para tornarem tudo ainda mais especial, apresentando aquele brinquedo que certamente esta presente na infância da plebeia, da princesa ou da Barbie: a boneca.

Com muita sutileza e deixando irradiar por todo o espaço a beleza das bolinhas de sabão, as turmas do Jardim II da manhã subiram ao palco. A seguir ouviu-se: “Um homem bateu em minha porta e eu abri. Senhoras e senhores, ponham a mão no chão. Senhoras e senhores, pulem de um pé só!”, e o Jardim II da tarde anunciou que era hora de pular corda!

As turmas do 1º ao 5º ano do turno da manhã, apresentaram um desenho coreográfico utilizando o Bambolê, convidando a todos a relembrar a diversão que esse brinquedo proporciona. Já as turmas do 1º ao 5º ano da turma da tarde, trouxeram uma coreografia com bolas, relembrando o colorido desse brinquedo que certamente é presença marcante na vida da garotada.

Com gestos singelos, delicados e sutis, dando continuidade ao espetáculo, a professora de balé da escola, Valéria Cristina, mostrou através de uma apresentação à beleza de quem vive com muito amor e dedicação a arte da dança, externando toda a grandeza de uma excelente bailarina.

Saindo dos Gibis e das telas do cinema, os super-heróis do Ensino Fundamental e Médio, acompanhados da Professora Valéria Cristina, mostraram que estavam dispostos a utilizar todos os seus poderes, para garantir ainda mais o encanto do festival.


A última apresentação foi realizada de maneira muito especial pela professora Valéria Cristina, que foi responsável pela produção de todas as apresentações e voltou ao palco apresentando a magia do brinquedo marionete, também conhecido como marioneta, que com muita beleza conduziu todos ao entorno do popular.

A cada edição, o empenho dos pais, dos alunos e das professoras na participação ativa antes e durante o festival, o apoio geral das coordenadoras Egmar Santos e Zivocléia Leite, bem como da coordenadora pedagógica, Kátia Alexandra e do gestor, Joselito Pedro, vem assegurando o crescimento do evento que sem dúvidas é um dos maiores vivenciado na região.

Encerrando o Festival de Balé 2016, que sem dúvida foi um sucesso de organização, o diretor Joselito Pedro, agradeceu a todos que não mediram esforços para a grandeza desse que foi mais um evento de sucesso da Escola Dinâmica.

Em pesquisa da Nassau no Recife, João Paulo aparece com 27,7% e Geraldo Julio com 25,3%, em empate técnico

 A primeira pesquisa de intenção de voto no Recife realizada pelo Instituto de Pesquisa Maurício de Nassau (IPMN) e pelo Jornal do Commercio aponta um empate técnico entre os candidatos João Paulo (PT) e o prefeito Geraldo Julio (PSB), que busca a reeleição.

Na pesquisa estimulada, o ex-prefeito do Recife João Paulo surge com 27,7% das intenções de voto. Logo atrás dele, embora em empate técnico, em função dos quatro pontos percentuais da margem de erro da pesquisa, aparece o atual prefeito, Geraldo Julio, com 25,3% das intenções de voto.

“A pesquisa mostra, claramente, uma polarização entre o atual prefeito Geraldo Julio e o ex-prefeito João Paulo. De modo algum, nós podemos afirmar que João Paulo esteja na frente de Geraldo Julio. Considerando a margem de erro, ambos estão empatados. Certamente, as próximas pesquisas mostrarão qual será a tendência desta campanha. Nós não podemos desprezar, de modo algum, a força de Geraldo Julio, por causa do guia eleitoral”, afirma o professor Adriano Oliveira, coordenador geral da pesquisa.

“Vejo, claramente, que essa eleição tem dois atores fundamentais. O primeiro ator é o prefeito Geraldo Julio, com chances, inclusive, de recuperar a popularidade e, consequentemente, alcançar mais intenções de voto. O outro ator é o ex-prefeito João Paulo, pelo fato de que a eleição está hoje, claramente, polarizada entre João Paulo e Geraldo Julio”, afirma Adriano Oliveira.

Logo atrás dos dois principais concorrentes João Paulo e Geraldo Julio, pelo menos até o presente momento, aparecem os candidatos Daniel Coelho (PSDB) com 5,9% das intenções de voto e Priscila Krause (DEM) com 3,5% das intenções de voto.

“Outro ponto a ser destacado é o fato de que Priscila Krause aparece tecnicamente empatada com o candidato Daniel Coelho. Eu suponho que, certamente, Priscila Krause poderá já na próxima pesquisa ultrapassar Daniel Coelho. Friso isso pelo fato de que Daniel Coelho é um candidato mais conhecido, não é mais a novidade. Priscila Krause é essa novidade. Assim, vislumbro que seja possível Priscila estar a frente de Daniel já na próxima pesquisa”, diz Adriano Oliveira.

No pelotão dos nanicos, somente Edilson Silva (PSOL) pontuou, com 0,8% das intenções de voto. Segundo a Nassau, Carlos Augusto, do PV, e Simone Fontana, do PSTU, não chegaram a ser citados pelos eleitores, não registrando assim percentual algum.

Pesquisa espontânea

O mesmo cenário de polarização entre o petista João Paulo e o socialista Geraldo Julio se mantém em relação à pesquisa espontânea, quando não são apresentadas cartelas com nomes e os eleitores são chamados a declinar o nome de sua preferência.

João Paulo aparece com 19,6% das intenções de voto.

Geraldo Julio com 17,6% das intenções de voto.

Os pesquisadores citam empate técnico, considerando que a margem de erro soma 4 pontos percentuais.

Na sequência, aparecem Daniel Coelho (2,9%) e Priscila Krause (2,6%) e outros com 1,1%.

Não sabe ou não respondeu somou 22,4% das intenções de voto. Outros 33,8% apontaram que não votariam em nenhum dos candidatos.

Registro no TRE

O levantamento trata ainda de rejeição, aprovação da gestão municipal e o interesse dos eleitores no pleito deste ano, na primeira pesquisa de campo, realizada ainda antes do começo do guia eleitoral, na sexta-feira da semana passada.

A pesquisa foi registrada junto ao Tribunal Regional Eleitoral (TRE) sob o número PE-03829/2016, no dia 23 de agosto, na cidade do Recife.

O tamanho da amostra somou 624 entrevistas. As entrevistas foram realizadas nos dias 24 e 25 de agosto de 2016.

A margem de erro é estimada em 4 pontos percentuais.

Blog do Jammildo

Diogo Moraes participa de atos de campanha no Agreste


O deputado estadual Diogo Moraes (PSB) participou, durante este final de semana, de eventos das campanhas de aliados em Santa Cruz do Capibaribe, Taquaritinga do Norte, no Agreste Setentrional, e São Joaquim do Monte, no Agreste Central. Na última sexta-feira (26), Diogo Moraes acompanhou uma grande passeada com o prefeito e candidato à reeleição em Santa Cruz do Capibaribe, Edson Vieira (PSDB), que também contou com a participação do candidato a vice Dida de Nan (PSB). À noite, um ato de campanha foi realizo na Rua Biu de Deda.

No local, o deputado destacou as ações realizadas no município pela atual gestão. “A maior obra da história de Santa Cruz do Capibaribe já está com mais da metade de sua extensão duplicada, que é a PE-160”, lembrou. O deputado ainda citou o empenho do grupo para viabilizar a Adutora do Pirangi. No ato, o candidato a vice-prefeito Dida de Nan fez um balanço da campanha e vibrou ao anunciar uma importante adesão ao grupo. “Tive o prazer de andar em várias ruas e lá em Poço Fundo foram 23 famílias que vieram para o nosso lado”, contou. .

No domingo, Diogo participou, ao lado da chapa majoritária, de um comício na tradicional Avenida 22 de Abril. Com a rua lotada de militantes, o prefeito Edson Vieira agradeceu a presença da população. “Como não se emocionar em ver no domingo à noite esse mar de gente? Essa é a prova de que o povo de Santa Cruz está do nosso lado”, discursou

TAQUARITINGA DO NORTE

Na noite do sábado (27), Diogo Moraes visitou o distrito de Gravatá do Ibiapina, em Taquaritinga do Norte, onde participou da passeata e do comício ao lado da chapa Calabar, com Lero e Gena, candidatos a prefeito e vice-prefeito respectivamente. “Fico feliz com essa belíssima demonstração de que nós iremos ganhar essa eleição. Nós iniciamos há 16 anos o resgate de Taquaritinga do Norte”, disse Diogo, que ainda citou avanços obtidos pelo grupo, como o acesso a Gravatá do Ibiapina, que contou com apoio da ex-deputada federal Ana Arraes, e a chegada da telefonia móvel. “Estamos representando 21 municípios de Pernambuco e tenho certeza que seremos vitoriosos na maioria”, disse o deputado.

SÃO JOAQUIM DO MONTE

No domingo, a agenda de Moraes teve início no município de São Joaquim do Monte. O parlamentar participou de caminhada com o prefeito e candidato à reeleição Joãozinho Tenório e Dr. Abrantes, que disputa a vice. Na cidade, Diogo falou das conquistas na gestão de Joãozinho e citou a reforma do hospital, que contou com a emenda de sua autoria, o sistema simplificado de distribuição de água, o matadouro regional e a cobertura de telefonia celular. “Agora temos um ministro, o nosso deputado federal Bruno Araújo, que quando tomou posse me mandou escolher quatro municípios para  implantar o Minha Casa Minha Vida e tirar o povo do aluguel”, finalizou.

Assessoria

segunda-feira, 29 de agosto de 2016


“As forças do mal foram maiores”, diz Aguinaldo Xavier ao comentar desistência de candidatura a vereador

O ex-vereador e empresário de Santa Cruz do Capibaribe, Aguinaldo Xavier (PHS), anunicou nesta segunda-feira (29) desistência a candidatura a Casa José Vieira de Araújo. Em entrevista à Rádio Polo FM o mesmo elencou diversos assuntos que levaram o mesmo a tomar essa decisão.

Para Aguinaldo, a Lei Eleitoral é clara e mostra que o mesmo teria empecilho para ser candidato, tendo em vista que é cunhado do atual prefeito do município, Edson Vieira (PSDB). Os outros fatores foram, segundo o mesmo, uma “armação” que fizeram para que o mesmo não conseguisse sua candidatura. “O coronel (Edson) de lá é quem comanda, eles me deram uma ata que assinei na frente de Eliseu e do advogado Marcelinho, porém, deram fim a Ata, e a minha candidatura foi impugnada pelo Ministério Público”, frisou.


Aguinaldo Xavier revelou que apoiará outro nome, porém não afirmou com qual vereador irá caminhar. “Vou votar em outro colega meu, de meu palanque (taboquinha), e sigo em frente. Tem as próximas eleições e nós vamos manter a fé, estamos firmes e fortes”, disse.

Ultima fase - Dilma fala nesta segunda no plenário do Senado Federal

A presidente afastada Dilma Rousseff (PT) estará, na manhã desta segunda-feira (29), no Senado Federal, para se defender nesta que é a última fase do processo de Impeachment.  É a primeira vez que Dilma ficará frente a frente com os seus juízes, os Senadores, que decidirão se ela comentou ou não o crime do qual é acusada. 

O tom do debate vai depender do discurso da presidente, que deverá repetir o que foi sua linha de defesa até agora, a de que não cometeu crime de responsabilidade,  a fala inicial de um discurso que foi preparado, escrito e revisto, com apoio de assessores e do advogado José Eduardo Cardozo. Depois virão as perguntas dos senadores; 47 já se inscreveram e a lista ficará aberta durante a sessão.

Dilma, que conforme a Secretaria-Geral da Mês, chegará ao Congresso pela chapelaria, entrada principal dos parlamentares, estará diante de uma plateia formada por 81 senadores, quatro presidentes e ex-presidentes de partidos, 18 ex-ministros e pelo ex-presidente da República Luiz Inácio Lula da Silva (PT).

Na semana passada, entre quinta (25) e sábado (27), os senadores ouviram as testemunhas de defesa e de acusação no processo. Ao longo de três dias, os parlamentares fizeram inúmeros questionamentos aos depoentes, colheram informações e pediram esclarecimentos sobre as denúncias contra Dilma.

Após ela falar aos senadores e responder aos questionamentos, os 81 parlamentares terão direito a dez minutos cada para expressar sua posição sobre o Impeachment. Na sequência, ocorrerá a votação final, que poderá resultar na cassação do mandato de Dilma, o presidente do Senado, Renan Calheiros(PMDB-AL), estima que a votação deverá ocorrer somente nesta terça (30) ou até mesmo na quarta (31), conforme o andamento da sessão desta segunda.


domingo, 28 de agosto de 2016

Confira a entrevista do candidato Edson Vieira a Rádio Polo FM

Na manhã desta sexta-feira (26) a Rádio Polo FM recebeu o último entrevistado da primeira rodada de entrevistas dos candidatos a prefeito de Santa Cruz do Capibaribe, o prefeito e candidato à reeleição Edson Vieira (PSDB). Não diferente das outras, o gestor foi confrontado com temas polêmicos e administrativos.

Vale lembrar que os candidatos a prefeito de Santa Cruz do Capibaribe, voltarão a ser entrevistado no próximo mês, nos dias 20, 21, 22 e 23 de setembro. Sendo que a ordem inverte nessa relação, Edson Vieira será o primeiro entrevistado, Clodoaldo Barros o segundo, Fernando Aragão o terceiro e Rodolfo Aragão o quarto e último.

Quem é Edson Vieira?

Edson de Souza Vieira, nascido em Santa Cruz do Capibaribe, mais precisamente na Rua do Alto, aos 17 anos, foi eleito o vereador mais jovem do país.

Passado esse período, o mesmo disputou o cargo de deputado estadual em 1998 não sendo eleito, depois em 2004, voltou a ser vereador e foi o mais votado daquela eleição. Em 2006 recebeu o seu primeiro grande desafio, ser candidato a deputado estadual à incentivo do hoje Ministro da Educação, Mendonça Filho (DEM), foi eleito e reeleito em 2010.

Antes, em 2008, o mesmo foi candidato a prefeito e acabou sendo derrotado pelo hoje, aliado político, Toinho do Pará. Já em 2012 conseguiu vencer o ex-prefeito José Augusto Maia. Passados quase quatros anos de administração, Edson Vieira se lança candidato a reeleição com o slogan “Mais Conquistas, Mais Avanços”.

Administração

Plano de Governo – Perguntado sobre as propostas que o mesmo fez a população em 2012, Edson disse que tem certeza que concluiu 80% ou mais de suas promessas. “Acredito que foi mais de 80%, pois se você analisar os avanços que nós implantamos é notório ver que cumprimos com as promessas feitas em palanque. Teve coisas que executamos que não estavam no Plano de Governo, então se juntar com essas também, teremos um número de ações elevado, e não fizemos mais devido à crise que afetou as prefeituras”, afirmou.

Construção do Hospital Municipal – No seu Plano de Governo em 2012, uma das suas mais aventurosas propostas, era a construção de um novo hospital municipal, aos moldes dos que eram feitos pelo Governo do Estado. Essa proposta não saiu, perguntado sobre os motivos, Edson afirmou ter conseguido realizar ações fundamental importância no hospital existente. “Não seria irresponsável de acabar com um hospital para construir outro, para isso tem que ter fonte, recurso, e a nossa prefeitura não conta com essa estrutura. Porém vale destacar que eu fiz mais que isso, pois entreguei um hospital em condições de atendimento”, disse.

Materno Infantil – Na oportunidade, Edson Vieira garantiu ter conseguido reduzir os valores do aluguel do Hospital Materno Infantil, e considerou isso como um avanço, tendo em vista que na visão do prefeito, o local conta hoje com uma estrutura que não deve a nenhuma clínica particular. “O Materno Infantil está recebendo, desde o início de nossa gestão, várias gestantes que foram utilizar dos serviços de lá. Cerca de 700 crianças nasceram nesses últimos três anos e meio de gestão, mostrando que temos compromisso com o povo”, destacou.

“Eu não faria essa proposta, porém tenho duas soluções” afirma Edson Vieira

Perguntado pelo radialista Ney Lima, se teria em mente fazer novamente a proposta de construção do Hospital, Edson afirmou que a prefeitura não teria condições financeiras para tal, porém apontou para dois caminhos. “Nós avançamos na saúde, entreguei o Hospital Municipal com três médicos e os PSF´s com três médicos também, além da construção da UPA e das AME´s”, disse.

Tablet´s – Uma das promessas de Edson, foi a entrega de Tablet´s aos alunos da rede municipal de ensino. Perguntado quanto o mesmo teria entregue, o prefeito foi enfático e disse. “Fomos impedidos pela lei eleitoral e não tenho medo nem vergonha de dizer que deveríamos ter atentado para botar com um ano antes na Lei Orçamentária, aí quando fui botar esse ano, meu jurídico disse que o melhor seria não colocar pois é ano eleitoral e eu podia correr riscos”.

“Quem tem crédito de ter colocado água mineral nas escolas, ter recebido bem os professores, ter ampliado o EJA e construído três Centros Educacionais, sabe que isso é possível”, frisou.

Conjuntos Habitacionais – Edson Vieira destacou as ações voltadas para conjuntos habitacionais, porém segundo o radialista Ney Lima, o prefeito não teria realizado nenhuma ação com recursos da prefeitura e sim do Governo Federal. Edson de pronto respondeu, “Então por ser do Governo Federal não vale, nós entregamos 340 casas no Jaçanã isso vem de convênio com a prefeitura e eu fui quem destravei esses recursos que estavam presos em Brasília. Além de termos entregado uma área para o MTST, inclusive somos o primeiro governo a ofertar esse terreno para construir 400 casas aqui”, disse.

Polêmica

Um dos mais debatidos assuntos no quesito eleitoral e administrativo tem sido com relação a ação do Ministério Público, que bloqueou os bens do prefeito Edson Vieira e outros envolvidos no escândalo que ficou conhecido como “Farra das Locações”. O radialista Ney Lima afirmou que Edson teria sido condenado por Improbidade Administrativa, e Edson se defendeu dizendo que, “O Ministério Público tem uma ação que ainda não fomos notificados para apresentar a defesa e nem se sabe se o juiz aceitou ou não. Não se trata de Improbidade Administrativa, nada. O que existe é uma ação investigativa que eu chamo de ação de fiscalização. Porém o processo ainda não tem”, afirmou.

“Não existe nenhuma ação contra mim, o que aconteceu é que em uma medida cautelar o Ministério Público bloqueou os bens. O Tribunal de Contas aprovou as nossas contas de 2013, ou seja, não houve nenhum ato ilícito e apenas a oposição usa o bloqueio de bens para fazer zuada”, destacou.

O radialista insistiu e perguntou se Edson teria conhecimento de que as contas que foram aprovadas de 2013 poderiam voltar e o prefeito disse que, “O Tribunal está questionando a empresa para ela apresentar a sua defesa e não a prefeitura, portanto isso mostra que Edson Vieira é limpo e tem a certidão do Tribunal de Contas como prefeito que teve as contas aprovadas, é ficha-limpa”, disse.

“Quem seria Edson Vieira para não aceitar Dr. Nanau e sua família; e Toinho do Pará cansou de ser traído”, declara Vieira 

Tendo recebido apoios que em outrora estiveram no outro grupo, a exemplo de nome como Dr. Nanau e Toinho do Pará, Edson foi perguntado sobre uma acusação que fez contra Nanau em 2012, quando o mesmo foi candidato a vice-prefeito de Zé Augusto. Edson disse que não poderia abandonar o apoio dele e de sua família. “Eu comecei uma gestão e a primeira coisa que fiz foi sobre a entrega do Materno Infantil, aí reduzimos o aluguel e permanecemos com o Hospital, e nisso Dr. Nanau reconheceu que nós fomos e estamos sendo o melhor para a cidade”, disse.

Ao comentar sobre a adesão do ex-prefeito Toinho do Pará ao grupo boca-preta, Edson afirmou, “Toinho do Pará foi outro que conseguiu reconhecer meu trabalho. Meu discurso não é comprometido por isso, e outra Toinho cansou de ser traído pelo grupo que é comandado por Fernando Aragão, Zé Augusto e Socorro Maia e tantos outros que atrapalharam ele”.

Pesquisa

Edson, no momento em que estava concedendo a entrevista destacou a pesquisa que acabara de ser anunciada pela Rádio Comunidade FM e o Instituto Exxata, onde mostra que tem chances de ser reeleito com folga. Os números apresentaram 44% de intenção de voto para Edson Vieira, contra 29% de intenção de voto para Fernando Aragão.

Prioridades de seu possível segundo mandato
“Tenho os desafios de avançar na Mobilidade Urbana, na Segurança e nas medidas direcionadas ao Transporte Público. Temos vários desafios e tenho a preocupação grande. Temos que manter as conquistas e avançar mais. Desde a duplicação da PE-160, o Calçadão Miguel Arraes, a Central de Feiras, Policlínicas, AME’s. Além de manter os serviços de segurança pública, saúde e infraestrutura”, diz.

Segurança - O candidato promete a criação da denominada ‘Polícia Amiga’ com núcleos específicos em vários pontos da cidade, que contem com áreas de lazer. “Onde tiver área pública, implantar um núcleo, que será uma praça com atividades esportivas, cidadania, e dentro um guarda e um convênio com o batalhão, um policial, com moto e rádio amador. ‘Policia Amiga’ interagindo com a comunidade, ligado com o batalhão”, explicou Edson, que seguiu dizendo, “Conseguimos uma nova delegacia que deu uma comodidade maior aos policiais, trouxemos o BEPI para a região, além das contratações de mais 30 guardas municipais que eu fiz, passando de 45 para 75 guardas”, afirmou.

Declaração de bens 

O vereador Ernesto Maia (PT), trouxe à tona uma denúncia em que mostra que o patrimônio declarado à Justiça Eleitoral pelo candidato Edson Vieira aumentou em 238% em relação às de 2012. Questionado sobre isso, Edson afirmou “Porque o prefeito Edson Vieira contraiu um empréstimo imobiliário na Caixa Econômica Federal. O adversário quer distorcer as coisas, quer ir para as coisas erradas, inventando histórias. Porque minha declaração do imposto de renda mostra isso, e qualquer pessoas pode olhar ela e vê que estou certo. Temos crédito para isso e vamos pagar todo esse empréstimo, só paguei R$ 200 mil e falta ainda mais de R$ 1,5 milhões”, disse.

Encerramento
O prefeito encerrou a sua entrevista destacando o lema de sua campanha e definindo as qualidades de seu candidato a vice-prefeito Dida de Nan. “Devemos continuar as novas conquistas e os avanços que estão em curso. E também digo ao povo que tenho ao meu lado um homem integro e que vai continuar comigo todos esses trabalhos que iniciamos e outros que virão”, finalizou o prefeito.